Subscribe

domingo, 4 de dezembro de 2011

Mudar é preciso!

Imagem de Destaque

 Jesus não quer a perdição de ninguém, mas a mudança

A palavra “mudança” faz parte do calendário do tempo do Advento. Mudar do pior para o melhor, das práticas de morte para aquelas de vida. Este é o sentido verdadeiro do Natal, para o qual estamos caminhando, revigorando forças no perdão de Deus.
O itinerário leva em conta uma vida melhor, que depende de humildade, de testemunho pessoal como grandeza evangélica e de reconhecimento da bondade do Senhor da vida. Jesus nasce no Natal fazendo-se carne para resgatar a humanidade da morte.
Deus não quer a perdição de ninguém, mas diz que “mudar é preciso”. Não quer que estejamos mergulhados no mal. Por isso, o Natal pode transformar-se em tempo de salvação, de enraizamento na vida de Deus e de felicidade verdadeira.
A maior mudança é confirmada com o encorajamento e a renovação da confiança no amor de Deus. Isso ocasiona compromisso sério com o bem e a vida digna. É muito mais do que um Natal apenas de muitas festividades.

O Advento é um tempo de bênção para quem o vivencia. Ele pode nos encaminhar para novos horizontes, ajudar-nos a superar grandes barreiras e dificuldades, porque o Senhor vem ao encontro das pessoas, como o pastor que vai em busca das ovelhas.
Nascendo em Belém de Judá, Jesus resgata vidas ameaçadas e cuida das pessoas enfraquecidas e indefesas, porque Sua vida significa vida do povo. A libertação é para todos, é um Natal sem fronteiras, não só como momento histórico, mas como vida nova.

O nascimento de Jesus dá início a uma nova criação, a um coração e espírito novos e a presença do motivador da paz. Isso exige que celebremos o Natal de forma coerente com a fé cristã. No Menino do Natal a vida toma sentido na história humana.
Celebrar festas natalinas supõe fidelidade aos princípios da fé cristã e da confiança nos planos de Deus. Ele não quer a perdição de ninguém, mas mudança, chegando ao conhecimento da verdade, que é Ele mesmo. Isso supõe viver na santidade e justiça em busca do bem de todos.

Dom Paulo Mendes Peixoto
Bispo de São José do Rio Preto

domingo, 20 de novembro de 2011

Conquiste a liberdade

12570txt  Ser aquilo que se é custa caro nos dias de hoje!

Ser aquilo que se é custa muito caro nos dias de hoje… O homem atual hoje vive sob uma contínua pressão: ele traz sobre si o peso de inúmeras cobranças. Frequentemente, ele acaba sendo condicionado – e até aprisionado – por ideias e valores preestabelecidos pela sociedade que o cerca, a qual lhe impõe constantemente muitas exigências a serem cumpridas.
Em muitas circunstâncias, o ser humano acaba “sufocado” pela perene cobrança dos que com ele convivem, sendo que – muitas vezes – ele só se percebe “aceito” e “amado” quando corresponde às cruéis expectativas dos seus companheiros do cotidiano.
Infelizmente, algumas pessoas só são capazes de expressar qualquer carinho ou afeto àqueles que correspondem em tudo ao seu estereótipo e ideal de vida, sendo que aqueles que fogem um pouquinho ao que elas pensam acabam sendo “elegantemente” descartados.
Mas que tragédia… que hipocrisia imaginar – ainda que inconscientemente – que as pessoas tenham de ser do jeito que achamos e que se elas não se encaixarem em nossos “padrões” não terão o direito de nos acompanhar na vida.
É triste, mas é verdade: quem não deseja viver uma hipocrisia em seus relacionamentos precisará pagar um grande preço, tendo que, muitas vezes, sofrer em virtude do fato de não querer representar para ser aceito.
Ser aquilo que se é nos dias de hoje custa caro…
Creio que é preciso iniciar uma concreta revolução na própria escala de valores e conceitos a ponto de conseguir aceitar e acolher aquilo (aquele (a)) que é diferente e que nem por isso deixa de ser bom.
Sejamos, sim, nós mesmos em tudo, contudo, permitamos também às demais pessoas a liberdade de acontecerem ao nosso lado sem precisarem representar. Aprendamos – com a arte presente na simplicidade – a acolher as pessoas em sua verdade e integralidade. Assim seremos mais livres e promoveremos profundas liberdades, tornando a vida menos pesada e o coração mais propenso a alçar voos mais altos…
Ser feliz não é tão difícil, basta apenas libertar-se da superficialidade e aprender a raciocinar.
Sem medo, desenvolvamos em nós essa bela capacidade de acolher os outros, começando primeiro em nosso coração (acolhendo em verdade aquilo que somos). Assim, sem dúvida alguma, conquistaremos “essa tal liberdade” diante da vida e de cada pessoa que conosco realiza a aventura de existir.

17

Padre Adriano Zandoná

Adriano Zandoná é padre e missionário da Comunidade Canção Nova. Formado em Filosofia e Teologia, é articulista e apresenta o programa “Em sintonia com meu Deus” de segunda a sábado – 6h15min – pela TV Canção Nova.
http://twitter.com/peadrianozcn
http://blog.cancaonova.com/padreadrianozandona

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

A sociedade dos perfeitos

Imagem de Destaque

Aqueles que exigem perfeição dos outros exigem algo que também não têm

Na sociedade dos perfeitos, ser imperfeito está fora de moda. Ao ligarmos a televisão ou acessarmos a internet, encontramos protótipos de pessoas perfeitas. Seres humanos imperfeitos maquiados com aparência sagrada. Uma forte tendência dos tempos atuais é a exigência de que o outro seja perfeito. Esta marca de nossa época vem disfarçada com o nome de “falta de paciência”: “Não tenho paciência com as pessoas de minha família”, “Sou extremamente impaciente com meus colegas de trabalho”, “Meus pais não são do jeito que eu quero”... Frases como estas são mais comuns do que ousamos imaginar.
Exige-se a perfeição do outro a qualquer custo. Pessoas que se consideram perfeitas exigem que seus irmãos e irmãs também o sejam. Caso isso não ocorra, as brigas e decepções acontecem em níveis agressivos.
No tempo de Jesus não era diferente. Os fariseus, escribas e mestres da Lei, responsáveis pelo cuidado do templo e, consequentemente, pela formação religiosa do povo, consideravam-se perfeitos. Julgavam ter atingido um grau de plenitude tal que se achavam no direito de catalogar as impurezas do povo de acordo com normas e critérios religiosos que oprimiam o ser humano.
Jesus percebeu a hipocrisia contida nos gestos e atitudes destes pretensos perfeitos. Estes exigiam que os fiéis carregassem pesados fardos e cumprissem normas que beneficiavam apenas a eles próprios.
Aqueles que exigem perfeição dos outros se esquecem de que também são imperfeitos. Muitas vezes exigem algo que nem eles próprios conseguem cumprir. Ocupam, inconscientemente, o lugar de Deus. Tornam-se juízes: julgam, condenam e decretam a sentença. O outro, raras vezes, tem a chance de defesa, tendo em vista que, na maioria dos casos, o julgamento vem embrulhado em presentes perfeitos.
Quando falamos de imperfeição entramos em contato com nossas próprias imperfeições. Esbarramos em nossos próprios limites e falhas. Uma atitude farisaica descarta a imperfeição e se reconhece canonizado. Os grandes santos nunca se consideraram santos em vida. O que os tornou santos foi a humildade com que se revestiram. Reconciliados com sua própria humanidade, estes homens e mulheres que hoje são venerados nos altares, transformaram as imperfeições em degraus para a santidade. No pecado que estava impresso em seu DNA humano, eles se revestiram da força de Cristo. Viram no Mestre o caminho para a humildade, o serviço e a doação ao próximo.
Respeitar o processo de caminhada de cada pessoa é fundamental para quem deseja construir hoje seu caminho de santidade. Quem não aprendeu a respeitar as imperfeições do outro, dificilmente irá conhecer o caminho da humildade que o guiará à paz interior.
Jesus compreendia as imperfeições humanas. Ele sabia que a natureza que nos reveste precisava ser purificada não por rituais de exclusão, mas sim por rituais de inclusão. Cristo incluía no Seu amor os excluídos do amor dos outros.
Somente quem compreendeu que tão imperfeito quanto o outro é ele mesmo, descobriu o caminho para o amor e a santidade manifestada no cotidiano dos sentimentos.


Pe. Flávio Sobreiro
Vigário da Paróquia Nossa Senhora do Carmo, Cambuí (MG)
Padre da Arquidiocese de Pouso Alegre(MG)
Bacharel em Filosofia pela PUCCAMP

Padre Flávio Sobreiro
www.flaviosobreiro.com

sábado, 3 de setembro de 2011

Que tal começar tudo pela Palavra de Deus?

Imagem de DestaqueA Palavra de Deus rege todas as coisas

Jesus é o motivo de todas as coisas existirem. “Tudo foi feito por ele, e sem ele nada foi feito” (Jo 1, 3). Cristo é o Senhor, e tudo Lhe está submetido, tanto o mundo material quanto o angélico, "para que, ao nome de Jesus, se dobre todo joelho no céu, na terra e nos infernos" (Fl 2, 10), também toda matéria e forma, viva ou inanimada, estão sob Seu olhar.
“Nenhuma criatura lhe é invisível. Tudo é nu e descoberto aos olhos daquele a quem havemos de prestar contas” (Hb 4, 12-13). Jesus veio revelar também ser Ele o Verbo Encarnado do Pai, a Palavra criadora (cf. Jo 1, 14). Palavra que quis se colocar em meio a nós, perpassando e agindo em nossas realidades: “a palavra que minha boca profere: não volta sem ter produzido seu efeito, sem ter executado minha vontade e cumprido sua missão” (Is 55, 11).

A Palavra de Deus rege todas as coisas. Se, então, a Palavra pode trazer essa eficácia, por que nos privamos de nos orientar por ela quando vamos empreender algo?
Queira ser um agente que propaga a Sagrada Escritura. A força e a sabedoria ali contidas provêm da boca do Senhor e não de nós. Deus não a deixará cair no descrédito. É do interesse divino que a Bíblia transmita Seus efeitos onde quer que ela seja colocada em prática e proferida, ainda que seja por nosso intermédio, servos fracos e sujeitos ao pecado.
Podemos contar sempre com os efeitos da vontade de Jesus em nossas iniciativas. Leve sempre a Bíblia aonde você for.

Comece tudo o que for fazer com a oração de um trecho bíblico, como um salmo por exemplo. Ao acordar, antes de pegar o trânsito, antes de iniciar um trabalho ou ministério, leia um versículo, busque uma passagem relacionada com a situação que você está vivendo. Com certeza, Deus lhe falará, pois Ele quer participar de sua vida. Destaque textos da Sagrada Escritura e os cole em lugares por onde for passar, na cabeceira da cama, no interior do carro, na porta da geladeira, nos cadernos e nos aparelhos de seu trabalho. Se, por vezes, enfeitamos nossos pertences com diversos dizeres, frases de efeito, figurinhas e personagens, por que não fixar também neles um versículo bíblico? Aproveite para lê-los e rezar todas as vezes em que visualizá-los.

Não se trata de separar textos que mais nos agradam e vivê-los isoladamente. Queira, com essa prática, aprender a amar a Palavra de Deus para ser Evangelho vivo, comungando-O na sua totalidade. Essa sugestão é uma maneira de memorizar trechos ou inspirar-se num lema para vida ou tempo presente.

Viver conforme a Palavra de Deus configura-nos segundo a Pessoa de Jesus, Verbo Eterno, de forma a permitirmos que Sua voz tenha poder sobre todo o nosso ser: "Porque a palavra de Deus é viva, eficaz, mais penetrante do que uma espada de dois gumes e atinge até a divisão da alma e do corpo, das juntas e medulas, e discerne os pensamentos e intenções do coração" (Hb 4, 12). Assim, também será com nossas ações e sobre o que elas desencadeiam, suas consequências e resultados.

Estas passarão a ter eficiência, tal como o coração de Deus quer imprimir nas situações em que colocamos a Palavra de Deus em prática, segundo os desígnios divinos e não somente para o alcance que imaginamos num primeiro momento.
Todas as realidades contidas na Pessoa da Palavra serão favoráveis em nossa vida, mesmo quando não entendermos o porquê de um fato acontecer daquela maneira. No final, testemunharemos que tudo concorrerá para um bem maior, pois o Altíssimo quer sempre o melhor para nós, como afirma a Bíblia: "Tudo contribui para o bem dos que amam a Deus" (Rm 8, 28).
Começar pela Palavra também é colocar Jesus em primeiro lugar.

"Antes de qualquer tarefa, vem a palavra verdadeira" (Eclo 37, 20).

Deus o abençoe!

Sandro Aparecido Arquejada-Missionário Canção Nova
blog.cancaonova.com/sandro - sandroarq@geracaophn.com

sábado, 20 de agosto de 2011

Mãos

Há mãos que sustentam e mãos que abalam.
Mãos que limitam e mãos que ampliam.
Mãos que denunciam e mãos que escondem os denunciados.
Mãos que se abrem e mãos que se fecham.


Há mãos que afagam e mãos que agridem.
Mãos que ferem e mãos que cuidam das feridas.
Mãos que destroem e mãos que edificam.
Mãos que batem e mãos que recebem as pancadas por outros.


Há mãos que apontam e guiam e mãos que desviam.
Mãos que são temidas e mãos que são desejadas e queridas.
Mãos que dão arrogância e mãos que se escondem ao dar.
Mãos que escandalizam e mãos que apagam os escândalos.


Mãos puras e mãos que carregam censuras.
Há mãos que escrevem para promover e mãos que escrevem para ferir.
Mãos que pesam e mãos que aliviam.
Mãos que operam e que curam e mãos que “amarguram”.


Há mãos que se apertam por amizade e mãos que se empurram por ódio.
Mãos furtivas que traficam destruição e mãos amigas que desviam da ruína.
Mãos finas que provam dor e mãos rudes que espalham amor.
Há mãos que se levantam pela verdade e mãos que encarnam a falsidade.


Mãos que oram e imploram e mãos que “devoram” .
Mãos de
Caim que matam.
Mãos de
Jacó que enganam.
Mãos de
Judas que entregam.


Mas há também as mãos de Simão Cirineu, que carregam a cruz, e as
mãos de
Verônica, que enxugam o rosto de Jesus.
Onde está a diferença?
Não está nas mãos, mas no coração.
É na mente transformada que dirige a mão santificada, delicada.
É a mente agradecida que transforma as mãos em instrumentos de graça.


Mãos que se levantam para abençoar,
Mãos que baixam para levantar o caído,
Mãos que se estendem para amparar o cansado.
São como as mãos de Deus que criam, que guiam, que salvam; que nunca faltam.


Existem mãos … e mãos …
As tuas, quais são?
De quem são?
Para que são?

William de Oliveira
Associação Aliança de Misericórdia

sábado, 13 de agosto de 2011

A verdadeira e a falsa sabedoria.

Eclesiástico 19, 18-25

18- Toda a sabedoria consiste em temer ao Senhor, e em toda a sabedoria existe a prática da Lei.  19 - Conhecer o mal não é sabedoria, e o conselho dos pecadores não é prudência.

20 - Existe habilidade que é abominável, e quem não tem sabedoria é insensato. 21 - É melhor ter pouca inteligência com temor, do que ser muito inteligente, mas transgressor da Lei.

22 - Existe uma astúcia hábil, no entanto injusta, e há quem use meios fraudulentos para aparentar retidão.

23 - Existe malvado que anda curvado pela tristeza, mas por dentro está cheio de falsidade: 24 - ele abaixa a cabeça e se faz de surdo, mas quando ninguém está vendo ataca você de surpresa. 25 - Se ele não prejudica você, é porque não tem força, mas na primeira ocasião lhe fará o mal.

Palavra do Senhor!

Graças a Deus!

Como são nítidas, estas palavras sabias! Jesus mostra as pessoas que tentam enganar o mundo a todo custo com vidas falsas; as pessoas hipócritas que tentam esconder sua verdadeira identidade. Tolas que não enxergam que podem muito bem enganar a mim a seu vizinho, mas O principal, O conhecedor de todas as coisas, O que nos conhece pelo o nome, está vendo tudo, está triste por ver um filho seu amado, usar máscaras, usar de Suas palavras Sagradas, de seus ensinamentos, para se esconderem, para fazer o mal, eu chego a não entender o que passa na cabeça dessas pessoas, tentam enganar ao próximo, mas acabam se enganando, acabam fazendo o mal a elas mesmas! E se escondem de quem? Se o Nosso Deus misericórdioso, sabe dos nossos pensamentos e do nossos corações!

“  19 - Conhecer o mal não é sabedoria, e o conselho dos pecadores não é prudência. ”

Viver assim até quando? Achando que é inteligente ao ponto de enganar a todos com suas falsidades e mentiras! Sabemos quem é o pai da mentira, e se vivemos assim, de Deus é que não pode vir suas palavras bonitas e enganadoras! Porque não olhamos para nós mesmos, para nossos próprios defeitos  e para nossos atos falsos? Porque será que é mais fácil, apontar os defeitos dos outros e não enxergar o nosso próprio defeito? E não enxergar o nosso desamor e descaso com as pessoas ao nosso redor. Porque queremos ver a mudança das pessoas e não começamos a mudar, porque quando a pessoa muda, enxergamos e mesmo assim voltamos a falar, até quando será assim! Porque sempre vemos o lado mal e o defeito que aquela pessoa tinha! Porque não nos sentimos felizes com as mudanças boas das pessoas? Perguntas! perguntas! Só saberemos a resposta certa, quando sentirmos verdadeiramente o amor de Deus em nossos corações, o amor que não julga, que não separa, que não abandona! Aí sim! veremos o lado bom das coisas e das pessoas! E também veremos mudanças nas pessoas mesmo que sejam mínimas! Temos que ser perseverantes, temos que ter fé que mesmo que tentem te enganar com falsas palavras, te colocar do lado, Jesus está ao seu lado, Ele nunca te abandonará e suas palavras nunca te enganarão! Pois o que Jesus prometeu será cumprido em sua vida, basta apenas CRER! Basta apenas crer na sua mudança e na mudança das pessoas ao seu redor! ( Mas a Deus tudo é possível. Mt. 19:26 ) E tenhamos cuidado com as palavras bonitas dos enganadores que se dizem sábios! Pois muitos virão para nos confundir !

Que a verdadeira sabedoria, seja derramada em todos, e que sejamos sábios para perceber essas pessoas enganadoras em nosso meio! Que o Senhor Jesus Cristo renove a vidas dessas pessoas e que elas enxerguem o verdadeiro amor de Deus Pai misericórdioso!   Amém!!!!

Até mais!

                                  

Sinal de Amor

Ziza Fernandes

Composição: Vinícius del Bianco

Vá viver
Ser feliz, buscar crescer
Dar sentido ao que a vida lhe diz
Tenha fé
Que eu sou seu Senhor
E lhe amarei seja lá aonde for

Quero ver você me escutar
Pra que eu possa acender
A escuridão que a lhe dominar
Só me impede de em você viver

Se você não sabe quem eu sou
É que ainda não me ouviu
Estou caminhando sempre ao seu redor
Dando amor, motivo pra viver
Onde estiver ali eu estarei
Com as mãos prontas a lhe esperar
Que você grite, clame meu amor
E eu possa então, inteiro lhe amar

Você é
Jóia preciosa para mim
Que sem lapidar
Tem um brilho especial mesmo assim
Contemplo sem cessar
Essa obra viva de minhas mãos
Que é você
Espécie rara, única, minha criação

E o que puder tudo lhe darei
Sempre ao tempo que achar melhor
E assim verá o seu valor pra mim
Bem maior do que você pode esperar

prece3