Subscribe

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Salmo 70/71

Minha boca anunciará vossa justiça.

Eu procuro meu refúgio em vós, Senhor:

que eu não  seja envergonhado para sempre!

Porque sois justo, defendei-me e libertai-me!

Escutai a minha voz, vinde salvar-me!

 

Sede uma rocha protetora para mim,

um abrigo bem seguro que me salve!

Porque sois a minha força e meu amparo,

o meu refúgio, proteção e segurança!

 

Libertai-me, ó meu Deus, das mãos do ímpio.

Porque sois, ó Senhor Deus, minha esperança,

em vós confio desde a minha juventude!

Sois meu apoio desde antes que eu nascesse,

desde o seio maternal, o meu amparo.

 

Minha boca anunciará todos os dias

vossa justiça e vossas graças incontáveis.

Vós me ensinastes desde a minha juventude,

e até hoje canto as vossas maravilhas.

 

Hoje Livre Sou

Ministério Adoração e Vida

Presença forte em mim, eu posso dizer: habitas aqui
Porque escravo eu fui e hoje eu sou mais livre aos Teus pés.
Sentido na vida a minhalma encontrou
Tua mão poderosa veio e me levantou
Agora eu posso declarar
Hoje livre sou!

Tenho sede da tua graça, cada dia mais
Sou mais forte e vou mais longe quando aqui estás
Com palavras de amor te adoro,Senhor
Hoje livre sou!

Meu tesouro, minha herança, meu Supremo Bem
Nem tribulações nem dor podem nos separar
E jamais irão romper o que o amor selou
Hoje livre sou!

Salmo 62/63

A minha alma tem sede de vós, Senhor!

Sois vós, ó Senhor, o meu Deus!

Desde a aurora ansioso vos busco!

A minha alma tem sede de vós,

carne também vos deseja

como terra sedenta e sem água!

 

Venho, assim, contemplar-vos no templo

para ver vossa glória e poder.

Vosso amor vale mais do que a vida,

e por isso meus lábios vos louvam.

Quero, pois, vos louvar pela vida

e elevar para vós minhas mãos!

 

A minha alma será saciada

como em grande banquete de festa;

cantará a alegria em meus lábios

ao cantar para vós meu louvor!

Para mim fostes sempre um socorro;

de vossas asas à sombra eu exulto!

Minha alma se agarra em vós;

com poder vossa mão me sustenta.

evangelho_jo16_23_281

0 comentários:

Postar um comentário